Produtos à Base de Hidróxido de Cálcio

  Artigo, 11 de Nov de 2010

Os produtos à base de hidróxido de cálcio são atualmente bastante difundidos e grandemente utilizados, graças à sua comprovada propriedade de estimular a formação de dentina esclerosada, reparadora e proteger a polpa contra os estímulos termoelétricos e a ação dos agentes tóxicos de alguns materiais restauradores.

A indução de neoformação dentinária parece ser decorrente do pH altamente alcalino do hidróxido de cálcio, embora o seu mecanismo de ação seja desconhecido. Desde que o hidróxido de cálcio é particularmente efetivo em estimular a formação de dentina reacional e reparadora, é o material de escolha para ser empregado em cavidades profundas, particularmente naquelas situações onde existe a possibilidade de microexposições não detectáveis clinicamente. O hidróxido de cálcio pode ser utilizado pelo profissional em diferentes formas de apresentação tais como:

=> Solução de Hidróxido de Cálcio;

=> Suspensão de Hidróxido de Cálcio;

=> Pastas de Hidróxido de Cálcio;

=> Cimentos de Hidróxido de Cálcio.

1 Solução de Hidróxido de Cálcio

A quantidade de 10 a 20 gramas de hidróxido de cálcio P. A. em 200 ml de água destilada. Esta mistura deverá ser mantida em repouso, para que o excesso de hidróxido de cálcio fique sedimentado no fundo do recipiente. Não há necessidade de agitá-lo, para o uso, pois a solução alcalina fica acima da deposição, numa concentração de aproximadamente 0,2% de hidróxido de cálcio. Esta solução alcalina ou água de hidróxido de cálcio é útil para todos os tipos de cavidades, qualquer que seja a sua profundidade, devendo-se lavá-las com esta solução antes que a proteção pulpar e restauração sejam colocadas. Além da limpeza que proporciona, sua alcalinidade neutraliza a acidez da cavidade, atua como agente bacteriostático estimula a calcificação dentinária e é hemostático nos casos de exposições pulpares. Por outro lado, o hidróxido de cálcio depositado no fundo do recipiente constitui uma ótima pasta para proteções diretas que o profissional poderá utilizar com freqüência.

2 Suspensões de Hidróxido de Cálcio

Consiste numa suspensão de hidróxido de cálcio em solução aquosa de metilcelulose a qual deve ser agitado antes do uso. Este produto vem munido de dispositivo apropriado com uma cânula que permite gotejar a suspensão dentro da cavidade. Geralmente uma ou duas gotas de suspensão é suficiente para um forramento adequado, após a colocação da gota, esta deve ser seca com leve jato de ar até que se forme uma película forradora branca e fosca em toda superfície preparada.

3 Pasta de Hidróxido de Cálcio

Introduzido e empregado pela primeira vez por Hermann2 em 1920, para a proteção do complexo dentino-pulpar. Diferem dos cimentos na composição e consistência e constitui-se basicamente de hidróxido de cálcio pró-análise dissolvido em água destilada (não endurecem após a sua colocação na cavidade).

Possuem outros constituintes como o cloreto de sódio, potássio, cálcio e carbonato de cálcio ou então com a adição de sulfato de bário que torna a pasta radiopaca.

Devido à capacidade de estimular a formação de dentina reparadora quando colocadas sobre a polpa, estas pastas são principalmente indicados nos casos de proteção direta, quando ocorre uma exposição acidental.

4 Cimentos de Hidróxido de Cálcio

Apresentam relativa dureza e resistência mecânica, são também impermeáveis aos ácidos existentes em alguns materiais restauradores. São também eficazes contra estímulos térmicos e elétricos sob restaurações metálicas a amálgama, fundidas ou a ouro em folha.

O Dycal é um exemplo desses produtos, apresenta-se sob a forma de duas pastas, uma base e outra catalisadora. A pasta base é constituída por dióxido de titânio (56,7%) em glicol salicilato, com um pigmento (pH 8,6). A catalisadora é composta de hidróxido de cálcio (53,5%), óxido de zinco (9,7%) em etiltolueno sulfonamida, cujo pH é 11,3. Sua manipulação é bastante simples, bastando proporcionar pastas iguais das duas pastas, espatulá-las convenientemente e levar a mistura á cavidade com o auxílio de um instrumento próprio.

Suas propriedades mecânicas, em especial a resistência à compressão, após 7 minutos da espatulação, e ao cisalhamento, após 10 minutos, possibilitam indicar esse agente protetor como base única no caso de proteções indiretas sob restaurações de amálgama, por suportar as pressões de condensação deste material.

Sob o ponto de vista biológico, quando aplicado sobre a dentina possibilita a formação de dentina reacional e evidências de reparo pulpar 7 e parece conduzir a resultados satisfatórios quando aplicado sobre pequenas exposições pulpares acidentais 6.

Envie seu comentário

Cadastre-se grátis e opine sobre este artigo.

Autor

Veja mais

Dr. Tiago Margute

Cirurgião-Dentista

 Sombrio, SC

Dr. Tiago Margute é Cirurgião-Dentista em Sombrio, SC - Brasil. Possui graduação em odontologia pela ULBRA - Universidade Luterana do Brasil (Torres). Atua como especialista... Leia mais

Cursos Online em destaque

Pesquisar produtos

Veja mais no Catálogo

Você é dentista?

Crie seu perfil para interagir com Dr. Tiago e mais 90 mil dentistas.

Conecte-se com Facebook

Oferecimento