Doença Periodontal e sua Relação com o Parto Prematuro

  Artigo, 07 de Ago de 2011

ALMEIDA, Larissa Fernandes da Silva;*OLIVEIRA,

Ianne Maraysa Josefa Santos;SANTIAGO, Leógenes

Maia

A doença periodontal é uma doença infecto-inflamatória

destrutiva da gengiva e do osso alveolar. É provocada,

principalmente, por produtos de bactérias anaeróbias

gram-negativas. A gestante apresenta algumas alterações

fisiológicas. As principais alterações orais atribuíveis à

gravidez são relacionados ao aumento da vascularização,

da permeabilidade vascular dos tecidos gengivais e as

respostas exacerbadas dos tecidos moles do periodonto

aos fatores irritantes locais, associadas a elevações do

nível de estrogênio e progesterona durante o período da

gravidez. Estudos têm apontado possíveis relações de

risco existentes entre doenças bucais, principalmente a

doença periodontal e complicações gestacionais, como

parto prematuro, nascimento de recém-nascidos de baixo

peso e pré-eclâmpsia. As explicações para tais hipóteses

baseiam-se no fato de a doença periodontal ser de origem

infecciosa, o que poderia provocar aumento de citocinas

inflamatórias no sangue materno. Por outro lado, o fato de

a doença periodontal ainda não ser comprovadamente um

fator de risco para as complicações obstétricas não

diminui a importância da manutenção da saúde bucal das

gestantes, que devem apresentar condições orais que

propiciem adequada alimentação, sem dor e

sangramento, e assim manter seu aporte nutricional

adequado.

Objetivo: Verificar se a doença periodontal em

gestantes está associada com a condição dos recémnascidos,

de baixo peso e com o parto prematuro,

sugerindo que a doença periodontal em gestantes seria

um fator de risco clinicamente significante para o parto

prematuro.

Metodologia: Esta pesquisa foi realizada a

partir de periódicos disponíveis na forma eletrônica nas

bibliotecas virtuais em saúde: SciELO, BIREME, LILACS

e ScienceDirect utilizando os descritores: periodontite,

parto prematuro e Gravidez. Foram usados como critérios

de exclusão artigos de anos inferiores ao ano 2000,

sendo utilizados artigos em língua portuguesa e inglesa.

Conclusão:

As grávidas constituem um grupo de

pacientes que requerem atenção especial e cuidados

específicos no que diz respeito ao tratamento dentário

durante a gravidez. É de fundamental importância a

orientação a respeito das conseqüências do acúmulo de

placa, orientando a correta higienização, avaliação do

controle de placa, raspagem e alisamento radicular,

quando necessário, e polimento dentário. As consultas

devem ser curtas, evitar radiografias e prescrição de

medicamentos. Embora o tratamento periodontal

mecânico não-cirúrgico no segundo trimestre da gravidez

seja seguro e efetivo na redução dos sinais clínicos de

doença periodontal materna. Outros estudos com

metodologias que apontem relação de causa e efeito

direta são necessários para indicar as evidências

científicas que suportem a relação de risco entre a

doença periodontal e a incidência de parto prematuro

e/ou baixo peso ao nascer.

Descritores:

Periodontia; Periodontite; Parto prematuro;

Gravidez.

Referências

Int J Dent, Recife, 10 Supl , 1 a 24, IV Congresso de Odontologia de Caruaru, Recife, 2011.

Envie seu comentário

Cadastre-se grátis e opine sobre este artigo.

Autora

Veja mais

Larissa Almeida

Estudante de Odontologia

 Caruaru, PE

Larissa Almeida é estudante de odontologia em Caruaru, PE pela FOC - Faculdade de Odontologia de Caruaru. Faz parte do iDent desde Janeiro de 2011.

Vídeo-aulas em destaque

Webinar1h 30m

Debate de Estética entre Amigos

Com Prof. Raphael Monte Alto, Prof. Paulo Vinícius Soares, Prof. Jorge Eustáquio, Prof. José Carlos Garófalo, Prof. Rafael Calixto, Prof. Paulo Quagliatto e Prof. Marcelo Alves

Veja mais em Vídeo-aulas

Pesquisar produtos

Veja mais no Catálogo

Leia também

Você é dentista?

Crie seu perfil para interagir com Larissa e mais 50 mil dentistas.

Conecte-se com Facebook

Oferecimento

Heraeus Kulzer